sexta-feira, 19 de março de 2010

Talvez

        Espero um dia casar. Espero um dia ter filhos. Espero um dia amar de novo. Só espero. Não rezo. Não faço. Não engano me. Só espero. Talvez a espera canse. Talvez uma rosa te cause feridas. Talvez você não me ame. Talvez não te entregue minha vida. Espero você ir como que tem certeza que o sol nasce. Espero você voltar. Será que é tão bom assim se enganar? Porque eu te espero com vontade. Com vontade de quem se prende a vida,  se segura em um futuro desconhecido. Com vontade de quem se entrega a um estranho, amigo intimo desconhecido. Por que não paro? Por que não vivo. Viver de que ? Viver para que? Por que sonhar?  Como sentir? Como deixar pequenas coisas apagarem escritos de pedra? Como ter alma e ser burra? Se os desafinados tem, por que nós os idiotas não? Sem coração não se sente. Sem coração não se tem. Sem coração não se respira. Sem coração não se existe. Então. Por que continuar ? Por que? Por que você? Por que eu com você? Por que você insiste em fazer? Por que você não para? Por que você não me ama? Por que você diz que sim e continua a fazer? Não quero saber o porque. Não quero saber de você. Não quero querer. Não quero nada! Só quero não querer!    

Nenhum comentário:

Postar um comentário